Capa

A honra ao idoso

Fotografia: Paulo Rogê

No dia 1º de outubro comemora-se o Dia do Idoso. Como bem sabemos, idoso é a pessoa que possui idade igual ou superior a 60 anos. Essa data, que marca o dia em que a Lei N°10.741 (Estatuto do Idoso) entrou em vigor, é fundamental para reforçar a importância da proteção a esse público e para reavaliarmos nossa atitude com relação aos nossos idosos.

envelhecimento é um fenômeno biológico normal que atinge todos os organismos vivos, mas muitas pessoas não sabem lidar com esse processo. Diante disso, o aumento da expectativa de vida no Brasil, que hoje ultrapassa os 71 anos de idade, representa um desafio para toda a sociedade, que deve criar formas de amparar melhor os idosos.

É certo dizer que o número de idosos da atualidade multiplicou, mas infelizmente a nossa sociedade não se organizou para dar a esses idosos o devido lugar de honra, respeito e consideração por sua fragilidade e dignidade.

Somos uma sociedade que considera os idosos incapazes e inúteis, e por esse motivo, sinto que é hora de reverter essa situação, pois me preocupo com o futuro de nossa juventude. A civilização que não respeita os seus idosos está fadada a ser uma civilização sem futuro.

Concordo com a declaração do Papa Francisco: “Em uma civilização em que não há lugar para os idosos, eles são descartados, porque criam problemas; esta sociedade leva consigo o vírus da morte”.

Hoje não se tem mais tempo para o idoso, contudo, ele não pode se conformar com essa situação. É necessário propagarmos uma cultura de proximidade com os idosos e desenvolvermos uma disposição de cuidado nesta fase da vida.

Me lembro do meu avô em sua casa na cidade de Niterói. Ele teve o privilégio de ter uma vida de honra, dada pelos seus filhos, netos e pela igreja a qual pertencia. Meu avô teve uma vida agitada de contador, senador e pastor da Igreja Metodista, e já no fim da sua vida, em uma cadeira de rodas, ele era levado pelas mãos de diáconos fortes que o amavam.

Tristemente, hoje existe uma cultura de que os idosos não servem mais para nada, que o tempo passou e que só estão aguardando a hora da morte. Infelizmente muitos dos sofrimentos dos velhos hoje são provocados pelas pessoas mais jovens, como o preconceito, a falta de amor e o desprezo.

Entenda que amar uma criança ou um velho é amá-los pelo que são e não pelo que fazem.

Para a integração dos idosos em nosso mundo atual é preciso que haja mudanças, tanto pessoal quanto social. Todos os idosos precisam ter condições de, na medida do possível, levar uma vida feliz, interessante e útil para a sociedade e, assim, reencontrar nela o seu lugar. Portanto, precisamos urgentemente, que essas mudanças iniciem dentro da família e da igreja.

“Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia”. (2 Coríntios 4:16)

Esse deve ser o ideal para todo idoso verdadeiramente cristão. A idade chega, e com ela vamos perdendo massa muscular, viscosidade, as taxas sobem e as artérias entopem, mas podemos, contudo, contar cada vez mais com a performance do interior, que é o espírito.

“Agora que estou velho, de cabelos brancos, não me abandones, ó Deus, para que eu possa falar da tua força aos nossos filhos, e do teu poder às futuras gerações”.
(Salmos 71:18)

Meu desejo é que os nossos idosos possam se sentir honrados, e que possamos, mesmo mal das pernas, estarmos bem no espírito.

“Não repreenda asperamente o homem idoso, mas exorte-o como se ele fosse seu pai; trate os jovens como a irmãos; as mulheres idosas, como a mães; e as moças, como a irmãs, com toda a pureza”. (1 Timóteo 5:1-2)

A honra ao idoso

Mais vistos

Fale com os editores:
E-mail: editora@batistarenscer.com


Editado e publicado no Brasil por:
Renascer – Livraria e Editora Ltda.
Telefone: (62) 3202- 4968

2016 - Desenvolvido pelo Depto. de Marketing da Igreja Batista Renascer.

Topo