eu adulto
Coaching e Você

Meu eu criança, meu eu adulto

Queridos leitores e leitoras. Chegamos em um mês que é muito desejado pelas nossas crianças. Dia 12 de outubro comemoramos o dia delas. Aproveitando dessa data comemorativa quero contribuir com cada um que nos acompanha nesse artigo de opinião.

Especificamente, trago-lhes duas perguntas a serem refletidas. Se eu te perguntasse hoje se “você criança teria orgulho de você adulto?”, que resposta você me daria? E dentro dessa relação, você saberia me dizer qual é a diferença entre a mente de uma criança e de um adulto?

Existem muitas diferenças entre a criança que fomos e o adulto que somos hoje. Natural, pois, muitas coisas se modificam durante a nossa vida. Mas, os sonhos iniciais que tivemos são muito importantes, pois com certeza contribuíram de alguma forma para chegarmos a vida adulta. Sonhos são combustíveis para manter em movimento a nossa jornada, ou seja, são geradores de sentido para a nossa existência.

Quando desistimos dos sonhos, corremos o risco de nos tornarmos pessoas cínicas, amargas, tristes e sem aquele brilho nos olhos e na vida. Quando deixamos de acreditar em sonhos, deixamos de acreditar no potencial que temos, na força que nos conduz para frente, na energia que precisamos diariamente para viver.

Sonhar mantém a nossa energia criativa pulsante, alimenta o nosso potencial e reabastece a nossa força para continuarmos suficientemente jovens para as batalhas que surgem. Se alimentar de sonhos é ter coragem suficiente para perseguir uma meta, construir sua missão e viver o seu propósito, colorindo a vida numa aquarela de luz, tornando os dias nublados mais ricos de sentido.

Sonhar te devolve a vitalidade primordial para manter a harmonia entre o nosso eu criança e o nosso eu adulto, tornando a caminhada mais leve, verdadeira e significativa. Manter nossa criança interior viva e orgulhosa do nosso eu adulto, significa acreditar que vale a pena sonhar e mais que isso, que vale a pena realizar tudo aquilo que queremos.

Nessa edição, que trata do tema central “Honra ao idoso”, repito que quero lhe convidar a refletir acerca das perguntas iniciais desse artigo, e de como é a sua vida na melhor idade, nesse caso, para aqueles que se enquadram nessa realidade. E para todos os demais: adolescentes, jovens e adultos fora da melhor idade, como serão os dias de sua velhice.

Para entendermos a respeito de como podemos nos aproveitar melhor dos sonhos do “eu criança” no sentido de desfrutar e assegurar um vida digna e plena no “eu adulto” (leia-se melhor idade). Quero lhe conduzir por um pensamento que aprendi com um dos meus mentores: Márcio Michelle, da EvoCoaching da cidade de Brasília.

Segundo ele, a diferença entre a mente de uma criança e de um adulto pode ser ilustrada por esse quadro abaixo:

CRIANÇA ADULTO
POSSUI MAIS EMOÇÃO É MAIS RAZÃO
MAIOR CAPACIDADE DE SONHAR MAIOR

MATURIDADE

SONHA COM ATIVIDADE  PENSA NA

$$ RECOMPENSA

 VAI AJUDAR PESSOAS SUPRIR NECESSIDADES

Veja que as informações acima não tratam apenas da diferença entre a mente de uma criança e de um adulto. Elas mostram inclusive qual é o segredo dos homens mais ricos e com maior nível de sucesso. Segundo Michelli, o segredo é que toda pessoa que vive o sucesso tem como característica terem começado como criança, com muita emoção, capazes de sonhar, com uma atividade profissional que, executada por eles, teria como objetivo ajudar pessoas.

Levaram tudo isso para a idade adulta com muita razão e maturidade. Fizeram dessa atividade aquilo que além de ajudar pessoas lhes daria muita recompensa, afim de suprir necessidades. Dessa maneira, o segredo do sucesso é não deixar de ser criança mesmo sendo adultos.

Hoje, infelizmente, temos uma geração de idosos desonrada, inclusive por eles mesmos quando se permitiram deixar para trás uma vida repleta de sonhos e desejos que poderiam realizar no futuro, ou seja, hoje. São crianças que foram morrendo aos poucos até que hoje não sobrasse nem sombra do que foram no passado.

Isso é forte, mas é o que temos encontrado. Uma geração de pessoas da melhor idade que não tem tido condições de desfrutar dessa fase da vida. Pessoas que nem sequer podem contar com uma aposentadoria digna, até mesmo porque o sistema previdenciário do país está falido e ainda querem encontrar uma mágica para salvá-lo.

Eu acredito que exista uma maneira de honrar os nossos idosos. Talvez não os idosos de agora, pois penso não termos condições financeiras suficientes, a não ser pelo respeito, educação e cuidado, mas me refiro aos milhares de idosos que teremos no futuro, provenientes do eu criança de hoje.

Precisamos impulsionar e permitir que as nossas crianças sonhem com um futuro no qual todos nós teremos prazer de viver e, acima de tudo, orgulho. Caso contrário, o eu criança nunca terá orgulho do eu adulto. Pense nisso!

Meu eu criança, meu eu adulto

Mais vistos

Fale com os editores:
E-mail: editora@batistarenscer.com


Editado e publicado no Brasil por:
Renascer – Livraria e Editora Ltda.
Telefone: (62) 3202- 4968

2016 - Desenvolvido pelo Depto. de Marketing da Igreja Batista Renascer.

Topo