Revista Renascer

evitar afogamentos
Cidadania em Pauta

Prevenir é salvar! O que podemos fazer para evitar afogamentos?

O período das férias escolares está aí, uma época em que muitas famílias se programam e realizam passeios divertidos e prazerosos. Mas, infelizmente é neste período que diversos acidentes acontecem. Em especial nessa edição falaremos sobre os afogamentos.

O Estado de Goiás, apesar de não ser banhado por mar, possui uma quantidade enorme de rios e lagos, com praias naturais e artificiais, cachoeiras, águas termais e uma variedade de opções para as famílias curtirem alguns dias de folga. Entretanto, muitas pessoas acabam não se atentando para questões básicas de segurança, e justamente pela falta de prevenção, vários acidentes acabam acontecendo, vitimando pessoas de todas as idades, trazendo transtorno e tristeza num momento que deveria ser de descanso e diversão.

A prevenção de acidentes em ambientes com rios, lagos, piscinas e similares, pode e deve ser feita com atitudes bem simples, veja:

1º – Atenção! Mantenha 100% de atenção. Crianças devem sempre utilizar boias adequadas para seu tamanho e peso, e devem ser supervisionadas o tempo todo. Poucos segundos de descuido podem ser cruciais;

2º – Em clubes e locais turísticos, procure sempre banhar onde haja a presença de um guarda-vidas, e jamais ultrapasse as áreas apropriadas para banho que estiverem demarcadas;

3º – Antes de entrar na água, verifique primeiramente a profundidade do local, e se pode haver objetos dentro da água que podem causar algum dano, tais como pedras e galhos. Em piscinas, cuidado com o ralo de sucção, bordas e azulejos quebrados e locais próximos a escorregadores e toboáguas;

4º – Em barcos, canoas, lanchas e esportes com pranchas, sempre utilize o colete salva-vidas, mesmo que você saiba nadar;

5º – Em caso de emergência, mantenha a calma, acione o socorro e não entre na água se não for seguro para você. O ideal é fornecer a quem estiver afogando algum objeto flutuante no qual ele possa se segurar.

Precisamos entender que todo ambiente em que há água apresenta um nível de risco para o ser humano. Negligenciar as ações de prevenção é deixar nossas famílias e entes queridos à mercê desses riscos. Prevenir é o que pode fazer a diferença entre a vida e a morte. Nas palavras do Dr. David Szpilman, da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (SOBRASA), “afogamento não é acidente, não acontece por acaso, tem prevenção, e esta é a melhor forma de tratamento”.

Os dados mais atuais da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (SOBRASA) apontam os seguintes índices:

  • 16 brasileiros morrem afogados diariamente;
  • Homens morrem 6,8 vezes mais;
  • 75% dos óbitos ocorrem em rios e represas;
  • 47% dos óbitos ocorrem até os 29 anos;
  • 52% das mortes na faixa de 1 a 9 anos de idade ocorrem em piscinas e residências;
  • Crianças menores que 10 anos e adultos se afogam mais em águas naturais (rios, represas e praias);
  • Mais de 80% das mortes ocorrem por ignorar os riscos, não respeitar limites pessoais e desconhecer como agir.

Portanto, meu conselho para você cidadão, é que aproveite as suas férias com a família, mas com total segurança!

Prevenir é salvar! O que podemos fazer para evitar afogamentos?

Mais vistos

Fale com os editores:
E-mail: editora@batistarenscer.com


Editado e publicado no Brasil por:
Renascer – Livraria e Editora Ltda.
Telefone: (62) 3202- 4968

2016 - Desenvolvido pelo Depto. de Marketing da Igreja Batista Renascer.

Topo