Revista Renascer

Capa

Tempo de Gratidão

Nesse início do ano de 2019 quero te convidar a uma reflexão: com que frequência você̂ reserva tempo para relembrar o que Deus fez e para agradecer-lhe por isso? Estamos sempre tão ocupados que aceitamos as bênçãos de Deus, enquanto atravessamos correndo nossos dias agitados sem ao menos nos deter para notá-las. Prazos, encontros e compromissos familiares preenchem o tempo que temos para louvar a Deus. Em geral, só paramos para falar com Ele, quando precisamos de algo ou quando as circunstâncias nos fazem perceber a nossa insuficiência.

As bênçãos só trazem alegria quando estão ligadas a gratidão. Você pode estar rodeado por elas, mas se você não sabe transformá-las em gratidão e louvor, elas se transformarão em orgulho, te deixando cheio de buracos. Pessoas felizes não são as que tem o melhor de tudo, mas sim as que fazem, de tudo o que tem, o melhor.

A pesquisadora Bernie Brown, chegou à conclusão que quando se pensa em gratidão, a expressão que surge é: “praticar a gratidão”. Gratidão não é algo natural, e nem instintivo. A pesquisadora diz que gratidão é uma orientação ou forma de pensar, e ter essa atitude nem sempre significa que se tem um hábito nesse sentido. Trazendo para o lado religioso, a gratidão sem prática, é como a fé sem obras. Não tem vida.

Temos que agradecer pela boa terra, pelos pulmões, pela visão, pelo nariz, pelas roupas, pelo teto, pelo cônjuge, por morar em um país sem perseguição, pela família, pela graça liberada em nossa vida, e mostrando mais uma vez que a felicidade não está em acumular, mas sim no apreciar.

É tempo de se graduar na gratidão! Moisés ensinou o povo a adorar à Deus no nível da provisão, mas Davi foi um pouco diferente por causa de sua história. Davi foi criador de ovelhas na casa de seu pai, e foi ungido rei de Israel pelo profeta Samuel. Davi era grato e praticava a gratidão. Ele sempre era guiado pelo senso de retornar à Deus, o Dono de todas as coisas. Uma gratidão madura.

Moisés ensinava o povo a se relacionar com Deus pelo nível básico, e Davi vem com algo mais profundo. O Salmo 23 diz: “o Senhor é meu pastor, e nada me faltará. Em verdes pastagens me faz repousar, me conduz as águas tranquilas, restaura-me o vigor. Guia-me nas veredas da justiça, por amor ao seu nome. Mesmo quando eu andar por um vale de trevas e morte, não temerei mal nenhum, pois Tu estás comigo. A Tua vara e cajado me protegem. Prepararás um banquete para mim a vista dos meus inimigos. Tu me honras, ungindo a minha cabeça com óleo e fazendo transbordar o meu cálice. Sei que bondade e fidelidade me acompanharam todos os dias da minha vida, e voltarei a casa do Senhor enquanto eu viver”.

Moisés nos ensina a agradecer ‘por ou pelo’. Davi nos ensina a agradecer ‘mesmo que’ eu ande pelo vale da sombra da morte.

Aprendemos a agradecer a Deus pelo que não vemos. Aprendemos a confiar, mesmo não vendo nada a nossa frente. Para andar, temos que confiar, tendo a certeza de que o nosso Deus estará conosco. Que tipo de cristão você quer ser em 2019? Será grato(a) pelo que já tem ou por aquilo que ainda não aconteceu?

Na mesa do banquete não temos apenas a presença de Deus, temos a presença dos nossos inimigos. Nessa mesa evoluímos ao ponto de não olhar para eles, mas sim para o Senhor. Para ser um adulto espiritual, precisamos aprender a sentar nessa mesa com os inimigos, mantendo o foco em nosso Senhor.

Preparamos a mesa quando graduamos na adoração e na gratidão, e conseguimos, mesmo com situações desfavoráveis, adorar a Deus. É como se as coisas que conspiravam contra nós passassem a nos alimentar para seguir no propósito.

Você consegue ver que maior é o que está em ti? Você consegue fazer com que o inimigo que vem contra você sirva para o propósito de Deus ao invés de te atrapalhar? Estar na frente dos inimigos é ser abençoado, mesmo carregando um fardo. Quando eu louvo com gratidão, estou me preparando para a provisão. Precisamos crescer!

Para graduar, nós precisamos aprender a agradecer pelas prisões e espinhos na carne. Paulo diz em Filipenses 1:15 a 18: “É verdade que alguns pregam Cristo por inveja e rivalidade, mas outros o fazem de boa vontade. Estes o fazem por amor, sabendo que aqui me encontro para a defesa do Evangelho. Aqueles que pregam Cristo por ambição egoísta, sem sinceridade, pensando que me podem causar sofrimento enquanto estou preso. Mas, que importa? O importante é que de qualquer forma, seja por motivos falsos ou verdadeiros, Cristo está sendo pregado, e por isso me alegro. De fato, continuarei a alegrar-me”.

Moisés nos tira do jardim de infância, Davi nos tira da faculdade e Paulo nos eleva a fé. Ele nos leva a ver o que realmente importa, independente de tudo. Paulo nos ensina a seguir no propósito alegres, mesmo em dor. Nós não somos o foco, mas sim Cristo. As cadeias de Paulo fizeram com que o Evangelho avançasse. Será que as suas cadeias e dificuldades fazem com que o Evangelho também avance?

A minha mensagem a vocês para o ano de 2019 é que vocês possam sempre confiar no Senhor. Agradeçam pela comida, agradeçam pela provisão, saiam do vale, olhem para as circunstâncias e mesmo que não sejam favoráveis, se alegrem pelo processo e propósito que está sendo cumprido. Confiem em quem está preparando tudo para você!

Acredite: Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam.

Provai e veja que o Senhor é bom.

Feliz 2019!

Tempo de Gratidão

Mais vistos

Fale com os editores:
E-mail: editora@batistarenscer.com


Editado e publicado no Brasil por:
Renascer – Livraria e Editora Ltda.
Telefone: (62) 3202- 4968

2016 - Desenvolvido pelo Depto. de Marketing da Igreja Batista Renascer.

Topo